Por que preciso usar aparelho de contenção?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
aparelho de contenção

Passou por um tratamento ortodôntico? Então, dê boas-vindas ao seu novo amigos, o aparelho de contenção.

O que dentistas, ortodontistas e profissionais da odontologia costumam dizer é que o tratamento com aparelhos como conhecemos é apenas a fase inicial para o alinhamento e a correção dentária. Após meses ou anos de aparelho fixo, móvel, invisível ou qualquer outro, começa a fase dois: literalmente, conter, os dentes.

Mesmo após o alinhamento e correção dos dentes com aparelhos, a recomendação aparelho de contenção se faz necessária, já que os dentes ainda podem se movimentar após a conclusão do tratamento – o que chamamos ali em cima de fase inicial.

Como isso ocorre? Bom, digamos que os dentes “se acostumam” com a movimentação e força exercida sobre eles para que sejam corrigidos e, quando o aparelho se vai, a arcada dentária, figurativamente, sente falta disso e começa a se movimentar novamente, dessa vez, sem aparelho. O que a contenção faz é estabilizar essa deslocação, como se estivesse mostrando aos dentes que o novo alinhamento deve permanecer.

Muitos pacientes que não utilizam o aparelho de contenção podem colocar a perder todo seu tratamento, uma vez que a chamada recidiva vai contribuir para que os dentes voltem a sua posição original antes do tratamento ortodôntico. Ou seja, além de toda a disciplina durante o uso de aparelhos ortodônticos, é preciso também levar a sério a contenção.

O tempo de uso varia conforme o caso e o paciente e deve ser sempre estabelecido junto ao profissional responsável pelo tratamento.

Quais tipos de aparelho de contenção existem?

A contenção pode ser encontrada em dois formatos: fixo ou móvel. O primeiro modelo é composto por fios de aço que ficam presos na parte interna dos dentes anteriores, ou seja, ele fica preso na parte de trás dos dentes da frente.

Geralmente, o modelo fixo é utilizado na arcada inferior e uma boa escolha para aqueles que não querem aparentar estar de aparelho. Ele fica bem escondido e só é visível quando a boca do paciente está aberta ou quando outra pessoa está bem perto.

Já a opção móvel é vista como mais higiênica, já que é possível removê-la e realizar a escovação e alimentação normalmente, sem que resíduos fiquem acumulados e possam gerar problemas bucais, por exemplo.

Seu visual se assemelha muito ao aparelho móvel, e também pode ser usado tanto na parte superior como inferior dos dentes. Para a sua produção, entretanto, é necessário realizar o escaneamento da arcada dentária.

Não Usei Contenção, e Agora?

Todo o seu investimento e tempo podem ser colocados à prova caso você não utilize ou não faça o uso correto da contenção.

Esse item, no mundo ideal, deve se tornar um hábito, caso a sua opção seja a móvel. Não é indicado usar de vez em quando, nem passar o fim de semana sem, nem “tirar só pra comer” e ver o dia passar sem que ele esteja na boca.

Uma vez que a movimentação dos dentes pode ocorrer independente do tempo pós-tratamento ortodôntico, o ideal é não dar nenhuma brecha.

Não importa o quanto seu uso anterior de aparelhos tenha sido dedicado e disciplinado, dentes, ossos, ligamentos, tecidos e todo o mais relacionado à arcada dentária possuem memória. Eles nunca vão se esquecer de como eram antes de sofrerem intervenções. E é essa lembrança que eles insistem em retomar durante as movimentações.

E, se os dentes podem ser teimosos, a contenção busca vencê-los. O final feliz dessa história só depende de cada paciente e dos ferrinhos que vão ensinar direitinho sobre suas novas posições e alinhamento.

Então já sabe, independente de qual aparelho ortodôntico opte, o aparelho de contenção é imprescindível para manter o resultado.

VEJA TAMBÉM