A evolução dos aparelhos ortodônticos até o alinhador transparente

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
alinhadores transparentes. Mulher segurando alinhador transparente com cara de surpresa.

Conquistar um sorriso harmônico e perfeito nem sempre foi fácil como utilizar alinhadores transparentes, item quase imperceptível e que pouco afeta o dia a dia de quem o escolhe.

Falar sobre a evolução dos aparelhos ortodônticos envolve história – muita história, e também um processo incansável de tentativas, muito estudo e tecnologia.

Os Primeiros Aparelhos Ortodônticos

Pesquisas garantem que os primeiros aparelhos ortodônticos datam ainda do século 18, mais precisamente, o ano de 1728. Chamado de “bandeau”, a criação do médico francês Pierre Fauchard se assemelhava muito a uma ferradura, daquelas de cavalo, e tinha como objetivo aumentar e alinhar a arcada dentária – em outras palavras, seu trabalho era por fim aos dentes encavalados. Sua invenção, ainda muito prosaica, significou uma grande revolução no mundo da ortodontia, acompanhada de outras novas práticas para a época, como o atendimento a pacientes em cadeiras próprias para um tratamento mais confortável.

Primeiro aparelho ortodôntico-chamado Bandeau-feito ferro.

De Fauchard, partimos para outro nome, também francês: Gaston Delebarre, inventor dos fios metálicos – componente necessário para prender os dentes, utilizado até os dias atuais nos aparelhos tradicionais.

Seguindo a linha do tempo, a área que prezava pela saúde e cuidado bucal e dos dentes, finalmente, ganha um nome. Em 1841, um terceiro francês, Joachim Lefoulon, cria o termo ortodontia para designar “deformidades congênitas e acidentais da boca”. Assim, pouco a pouco, dar a atenção devida aos dentes vai conquistando espaço e passa a ser visto e respeitado como ramo da saúde e estética.

Ainda no século 19, um novo modelo é criado por um norte-americano, chamado Edward Angle. O cirurgião-dentista que se tornaria um dos pais da ortodontia mundial inventa o Arco E, modelo em arco composto por metal pesado e soldado a duas bandas também de metal parafusadas nos dois primeiros molares. (Só de imaginar, dá um arrepio de dor, né?!).

aparelho ortodôntico Arco E.

Os Aparelhos Ortodônticos do Século 20

Angle seguiu persistindo em suas invenções e, anos depois, já em 1911, seu sistema “pino e tubo” foi lançado. A ideia era que cada uma das peças pudesse agir separadamente em cada um dos dentes e foi assim que Edward Angle ficou marcado como o “avô dos bráquetes”.

O aperfeiçoamento da ideia seguiu por longos anos, aprimorando cada peça e testando diferentes tipos de seus modelos de bráquetes.

Primeiro modelo de braquetes da ortodontia.

A colaboração de Angle teve muita importância para o que se tem hoje como aparelho fixo tradicional. Graças a seus estudos e testes, os bráquetes foram desenvolvidos e tiveram testes diversos sobre encaixes e todo o mais para os fios metálicos.

Os anos seguintes foram dedicados a contribuições de diversos profissionais, inspirados por Angle, que buscaram novos modelos de braquetes, bandas, fios e colas especiais para a correção dos dentes.

Os anos de 1950 até 1975 ficaram marcados pelos primeiros braquetes de aço e um tipo de adesivo que os cola, o que diminui a necessidade de soldá-los. Um americano, Craven Kurz, é o responsável por colar os braquetes na parte interna dos dentes, algo que garante resultado mais discreto, mas, mesmo assim, corrige o sorriso.

Aparelhos Ortodônticos se Popularizam

A partir dos anos 80, os modelos de aparelho fixo e móvel tomam conta de muitas bocas, mais precisamente das crianças e adolescentes.

O aparelho fixo metálico foi a grande estrela desde sua invenção e sofreu constantes adaptações até o produto final: fios, bandas e braquetes, com a presença colorida de borrachinhas, fixadas no fio dos braquetes. Mesmo com muitas histórias sobre o incômodo e desconforto durante o – longo – tratamento, grande parte dos pacientes que passaram pelo aparelho fixo de metal alcança dentes alinhados, livres de imperfeições ou posições incorretas e prejudiciais à saúde bucal.

Já o aparelho fixo estético, com as mesmas funções do aparelho fixo metálico, surge pouco depois, proporcionando um bônus no aspecto visual, já que é quase imperceptível a partir de seus materiais brancos ou transparentes, feitos de policarbonato, porcelana e safira.

Por sua vez, o aparelho móvel, geralmente, é indicado para finalização do tratamento ortodôntico, como uma espécie de contenção e correção de pequenos erros mesmo após o uso intenso de aparelho fixo.

Há ainda modelos mais específicos, como o extrabucal, indicado a crianças e adolescentes para direcionar maxilar e mandíbula e facilitar o desenvolvimento de dentes e ossos; o expansor palatino, focado na correção da cavidade bucal, ou seja, o céu da boca, aumentando o espaço para que os dentes possam crescer sem defeitos; e outros.

O que ninguém imaginava é que, depois de tantos anos de sofrimento com aparelhos fixos, metálicos, externos e outros que podem machucar e chamam mais atenção do que muitos pacientes gostariam, o desenvolvimento de pesquisas e testes junto ao avanço da tecnologia traria uma solução tão capaz de consertar dentes quanto todos esses: o aparelho ortodôntico transparente.

A Inovação do Alinhador Ortodôntico Transparente

Também chamado de aparelho invisível, o modelo foi criado por um californiano em 1997. Zia Chisti, americano de origem paquistanesa, decidiu insistir em uma ideia que há muito já havia sido testada, mas até então sem grandes resultados. Foi assim que o alinhamento dos dentes a partir de um aparelho de plástico teve sucesso e revolucionou tudo o que se tinha no mercado ortodôntico até então.

aparelho invisível

O modelo, entretanto, demorou a ser aprovado pelo órgão regulatório americano e só começou a ser comercializado no país em meados de 1999.

Hoje, pacientes que buscam o sorriso perfeito já têm um nome na ponta da língua ao conversar com o dentista: alinhador transparente. E as razões que os levam a essa caminho envolvem conforto, praticidade e, claro, transparência. Se nos anos 80 e 90, a febre era desfilar por aí com braquetes coloridos e fios metálicos, cada vez mais o aparelho ortodôntico quase imperceptível tem tomado conta das escolhas. Além disso, o fato de poder ser removido para refeições e escovações, e de grande parte do tratamento ser realizado em casa, sem a necessidade de consultas de rotina, colabora muito para a decisão.

Aqui na Smilink, o diagnóstico 3D completo fica pronto na hora, você já fica sabendo quanto tempo irá durar seu tratamento -entre 4 e 12 meses- e qual será o investimento logo na primeira consulta presencial com o dentista, o acompanhamento e suporte online estão disponíveis 7 dias por semana e caso o paciente opte pelo conjunto de alinhadores transparentes + clareamento dentário, poderá adquirir os dois juntos! Marque uma pré-avaliação e conheça a melhor versão do seu sorriso.

Esperamos por você!

VEJA TAMBÉM

dentes para frente como resolver rapidamente

Dentes para frente: a forma mais prática de resolver

Tecnologias modernas de tratamento ortodôntico, como alinhadores invisíveis também são indicados para caso de dentes muito para frente. E o melhor: com muito mais conforto e sem o visual do sorriso metálico de um aparelho fixo! É sobre isso que vamos falar na matéria.